CAVERNA
Porque escrever é ato de libertação
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos

SEM (PR E)TERNAMENTE
 
Sempre me passei por outra pessoa,
Desconhecida de mim, mas
Íntima de todos que me conheciam tão bem
 
também...
 
Sempre fui a sombra de algo que todos reconheciam
às margens, nas esquinas, no café
no barzinho ou
num banco de uma praça qualquer
 
Eu sempre tive saudades de mim
De alguém que enfim
Não sei quem é, nunca saberei.
 
Dir Valdir Lopes
valdirfilosofia
Enviado por valdirfilosofia em 24/04/2018
Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários